Enredo #05 - Jornada da Heroína.

Olá, meus amores! Como estamos nesse dia incrível?


Primeiramente, não... O "heroína" não tem qualquer referência à droga. Vai que vocês estejam vendo muitos filmes de Hollywood ou resolveram maratonar Gossip Girl ou Euforia.


Estou aqui para explicar esse outro método de desenvolvimento de enredo criado pela autora Maureen Murdock.


Vou simplificar o livro dela para vocês entenderem, contudo, deixo de dica a leitura para os que se interessarem. Vale a pena.


Vamos ao que interessa.


Apresentarei para vocês as 10 etapas da Jornada da Heroína, então, depois, farei um breviário sobre cada uma para melhor entendimento.



1) SEPARAÇÃO DO FEMININO


A personagem começa sua jornada completamente perdidinha. Ela está em busca de sucesso, reconhecimento, sair das amarras dessa sociedade patriarcal, machista e opressora. Ela quer conquistar o mundo dos homens.



2) IDENTIFICAÇÃO COM O MASCULINO:


A protagonista encontrará um mentor, alguém que ela admira para ajudá-la a alcançar seus objetivos, transmitindo valores, conhecimento e servindo como um "coach" para a personagem. A identificação com o masculino não quer dizer que o mentor necessariamente precisa ser um homem, diz respeito aos aspectos masculinos bem definidos como, por exemplo: perfeccionismo, frieza, agressividade e violência.



3) A ESTRADA DAS PROVOCAÇÕES:


Aqui o negócio começa a esquentar. Ela vai desafiar os mitos da inferioridade das mulheres. Sexo frágil é uma ova. Toda aquela historinha para boi dormir de fragilidade, dependência e amor romântico das mulheres. Chega! Queremos as empoderadas.



4) ENCONTRANDO O APOGEU DO SUCESSO:


Nessa etapa, a personagem consegue tudo que almejou, seja sucesso financeiro ou acadêmico, roupas, bens materiais, popularidade ou até mesmo aquele par ideal que ela imaginou, o tal do "príncipe encantado". Todavia, embora tenha conseguido tudo que sempre quis, ela entra em uma crise existencial. Sente um vazio profundo. Será que era isso que eu queria? Que eu precisava?



5) ARIDEZ ESPIRITUAL:


Nossa mocinha não consegue mais se reconhecer, tem aquele sentimento forte de que talvez, só talvez, ela tenha perdido a guerra, se afundando em um mar de tristezas e lágrimas. Cuidado para não se afogar, fofa. Use uma boia.



6) INICIAÇÃO E DESCIDA PARA A DEUSA:


Infelizmente, nessa etapa, nossa mocinha entra em uma depressão, procurando as peças que faltam do seu quebra-cabeça.



7) ANSEIO URGENTE DE RECONEXÃO COM O FEMININO:


A protagonista irá se reconectar com o seu poder feminino. Nessa louca tentativa, ela deixa sua intuição a guiar para umas práticas mais artísticas, artesanais e afins...



8) CURANDO O ROMPIMENTO ENTRE MÃE E FILHA:


Aqui a heroína vai lamber todas as suas feridas. CHEGA DE LAMENTAÇÕES! Ela irá se dissipar de qualquer rancor, perdoará e buscará o perdão na mesma medida e recuperará seus laços. Embora o nome, não precisa que esse laço seja, necessariamente, com a mãe, pode ser com o pai, avô, avó, tia, amiga, responsável, etc. O laço representa a comunidade que ela pertence, de onde ela saiu antes da primeira etapa.



9) CURAR O MASCULINO FERIDO:


Ela enxergará o machismo feminino e entenderá que o homem também vem sendo oprimido na sociedade patriarcal.



10) INTEGRAÇÃO DO MASCULINO COM O FEMININO:


A heroína aprende a integrar e equilibrar todos os aspectos de si mesma, tornando-se finalmente uma mulher plena.




Seguindo as etapas da Jornada da Heroína, você terá criado um livro incrível de uma mulher poderosa! Alguém já conhecia esse método? Comentem para que a gente saiba!


"As mulheres têm uma missão nesse momento em nossa cultura. É a busca de abraçar plenamente sua natureza feminina, aprendendo como se valorizar como mulheres e curar a ferida profunda do feminino" — The Heroine's Journey: Woman's Quest for Wholeness


Beijinhos, Lillith.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo